USO DE DRONES NAS ATIVIDADES DE SEGURANÇA E DEFESA CIVIL

By |2019-03-15T19:50:25+00:0015 março, 2019|

Dentre elas: Ação combinada de drones com cães farejadores no acesso a locais inacessíveis aos homens

Foi realizado no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CIGERD), nesta quinta-feira (14), o Seminário de Tecnologia de Comunicação Celular em Atividades de Defesa Civil e Segurança Pública. Dentre os assuntos estava a utilização de drones nas mais diferentes possibilidades.

A primeira palestra ficou a cargo do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) que trouxe as ações realizadas no desastre de Brumadinho . Dentre elas: Ação combinada de drones com cães farejadores no acesso a locais inacessíveis aos homens; Mapeamento da área para definição das estratégias; Custo da operação, equipamentos, maquinários, veículos e suporte pessoal utilizados. O CBMSC ainda falou sobre os cursos que ministra para formação de novos pilotos e missões especiais. Um exemplo citado foi a localização de um surfista arrastado pelo mar e que estava a quatro quilômetros da costa.

Em seguida foi a vez da Secretaria de Estado da Defesa Civil que apresentou a utilização de drones no mapeamento de áreas de risco, fiscalização de produtos perigosos e no monitoramento geotécnico. Na oportunidade o geólogo Humberto Alves da Silva e a geógrafa da SDC, Lais de Oliveira Bernardino, falaram sobre as atividades realizadas na Serra do Rio do Rastro, onde com a ajuda de drones todos os pontos críticos foram mapeados. Os técnicos também falaram da utilização de drones no combate contra o mosquito da dengue em Itapema, ou seja, na localização de focos em terrenos de difícil acesso e quintais de casas fechadas ou abandonadas.

Já a Polícia Militar Ambiental trouxe dois cases para o evento. O primeiro foi “Geoprocessamento SOS Mata Atlântica” no monitoramento de áreas desmatadas em 14 municípios com 24 atuações que resultaram em multas que totalizaram R$ 2.5 milhões em 2018. E o segundo, “Case Oktoberfest“, foi mostrada a aproximação entre Polícia Militar e cidadãos o que possibilitou uma maior sensação de segurança no evento com a identificação de pontos de brigas e no combate à pequenos delitos que possibilitou uma ação rápida dos militares.

Ao final a empresa Neger Telecom – Resgate e Salvamento, com 31 anos no mercado, demonstrou a experiência adquirida nas ações em Brumadinho. Nas ações de resposta ao desastre, mais de 60 vôos de drones foram rastreados via satélite. Ainda foi demonstrada a tecnologia para a bloquear sinal de celulares em presídios, identificação de drones em aeroportos e a detecção de celulares em casos de soterramento.

O Secretário de Estado da Defesa Civil, João Batista Cordeiro Júnior ressaltou a importância de novas tecnologias na solução de situações, tanto de planejamento, quanto na resposta a emergências. “Hoje a Defesa Civil catarinense é referência internacional e não poderíamos deixar de utilizar ferramentas tão importantes“, finalizou.

NOTÍCIAS PATROCINADAS