[rev_slider alias=”Destaque” /]

Na tarde desta quarta-feira (26), um morador do bairro Campeche encontrou uma Jararaca na sua varanda.

Com calma e técnica, Xistho Almeida, conseguiu capturar a cobra e devolver a natureza.

Agora vamos fazer o que aprendemos nos desenhos animados. ” diz Xistho em seu vídeo.

Sou morador do bairro Campeche, minha casa fica no entorno do morro do Lampião, construí minha casa sem desmatar o que ainda havia de mata no terreno, temos uma fauna muito rica e abundante por aqui, porém alguns animais acabam entrando na casa, principalmente cobras e aranhas. No dia de ontem 26 de dezembro fui tirar a cadeira que estava sentado do lugar aqui na minha varanda e reparei que algo se mexeu, era uma Jararaca, apesar de pequena o veneno pode até matar, minha primeira reação foi ligar para os bombeiros virem retira-lá viva, mas eles disseram que só retiram quando a casa é toda fechada, sem opção fiz um laço com um cabo de vassoura e um cordão, consegui pegar ela e depois soltei novamente na mata.” relata o morador

Jararaca

São serpentes peçonhentas, encontradas nas Américas Central e do Sul, sendo importantes causadoras de acidentes com animais peçonhentos no Brasil e nos outros países onde se distribuem, com altas taxas de morbidade e mortalidade.[1] As diferentes espécies apresentam grande variabilidade, principalmente nos padrões de coloração e tamanho, ação da peçonha, dentre outras características. Atualmente, 47 espécies são reconhecidas

Essas serpentes apresentam grande variação em tamanho, as menores espécies não ultrapassando setenta centímetros e as maiores atingindo cerca de dois metros de comprimento

Ao se deparar com uma serpente , mantenha a calma.

Por Ana Paula da Rocha, Bióloga.

  • Se ela estiver indo para algum local, sem prestar atenção em você, é porque ela não fará nada, deixe-a ir, sem molestá-la.
  • Se ela se mantiver imóvel, olhando para você,não faça movimentos bruscos e afaste-se lentamente do local, estes animais dão o bote quando ameaçados, como um sinal de defesa.
  • Caso ocorra uma picada, nada de pânico. Primeiramente tente reconhecer se a cobra é peçonhenta. As serpentes peçonhentas de nosso estado são as Jararacas e as Corais. As Jararacas possuem manchas em formato de ganchos e as corais possuem o corpo recoberto por anéis pretos, vermelhos e brancos. Isso é fundamental para que seja ministrado o soro antiofídico correto.
  • Ainda que não seja uma cobra venenosa, é importante ministrar os primeiros socorros adequados, e levar a vítima a um posto de saúde. Mesmo sem injetar veneno, a picada de cobra pode provocar uma infecções secundárias devido as bactérias presentes na boca destes animais.
  • Mantenha a calma, não sugue o veneno com a boca, não tente extrair o veneno, não aperte o membro com garrote/ torniquete, não passe nenhuma substância em cima do local da picada, beba bastante água se possível e dirija-se o quanto antes para um posto de saúde.
  • É importante lembrar que no verão animais como cobras e lagartos estão mais ativos devido ao calor. Esses animais utilizam o calor do ambiente para aquecer o corpo e manter suas funções vitais ativas. No verão, também aproveitamos o calor, para fazermos atividades ao ar livre, como ir à parques e fazer trilhas por exemplo, ambientes naturais dos animais silvestres e possivelmente peçonhentos .
  • É importante aproveitarmos os momentos ao ar livre e em meio à natureza com certos cuidados, orienta-se que ao fazer trilhas e caminhadas próximos à mata, sempre utilizar calçados fechados ou botas de couro, calças e blusas compridas, para evitar o contato dos membros com esses e outros animais.

Mais informações:

Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Santa Catarina (CIATox/SC)

Plantão 24h 0800 643 5252

Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

[rev_slider alias=”destaque-rodape” /]
By |2018-12-27T19:05:53+00:0027 dezembro, 2018|Noticia|0 Comentários

Sobre o Autor: