Oops...
Slider with alias Destaque not found.

Mais de 200 moradores da região são afetados todos os anos com os frequentes alagamentos em decorrência das chuvas, alguns chegando a perder tudo.

A região em torno da rua Jardim dos Eucaliptos atualmente não possui sistema de drenagem pluvial eficiente, a rede esgotada não consegue escoar para o mar, a água da chuva fica parada no subsolo, transborda, alaga as ruas e invade as casas.  Por anos a comunidade sofre com frequentes enchentes que causam prejuízos e transtornos a sociedade.

A AMOJE, Associação dos Moradores do Jardim dos Eucaliptos, buscaram junto a Prefeitura Municipal de Florianópolis a solução para o problema dos alagamentos ao longo da Rua Jardim Eucaliptos e ruas adjacentes. As obras de drenagem atenderão as ruas:  Servidão Gabriel Eduardo; Rua do Pinguim; Rua Morais; Rua Jardim dos Eucaliptos; Rua água viva; Rua Marino Ademar Schweitzer; Rua do Sam; Rua do Chale; Rua aroeira do campo; Rua Hibisco e Travessa Espírito Santo.

A AMOCAM,  Associação dos Moradores do Campeche, através da sua página no Facebook especula e insinua ilegalidade na obra:

“Moradores, da região da Lomba do Sabão e Lagoa da Chica, entraram em contato com a Amocam Associação de Moradores do Campeche, para denunciar obras suspeitas nas areias da Praia do Campeche. “

Estamos em estado de emergência total, quase calamidade. A poluição é geral e crônica. Encaminhamos denúncias ao MPF e solicitamos as licenças à FATMA/IMA.

“Vamos buscar, se há licenças para tal e se SPU, MPF e outros entes federais foram consultados, já que se trata de área de marinha, além de área de preservação. Há uma ACP, julgada em primeira instância, que veda qualquer nova intervenção em áreas de marinha e terras da União, aqui no Campeche. Se não houver licença aprovada, principalmente por estes órgãos, pode se configurar em desobediência à decisão judicial. Faremos os encaminhamentos e buscaremos confirmar se a obra está legalizada!

O fato é que trata-se de um projeto público e todas as informações estão disponíveis a qualquer pessoa, instituição ou associação. A AMOJE acompanhou todo o processo de licenciamento e o plano de gerenciamento das águas pluviais junto a Prefeitura e a empresa Fiori, responsável pela obra. A AMOCAM por desconhecer do projeto e não acompanhar a sua evolução e tratativas junto aos órgãos competentes promoveram, sem necessidade, um impasse entre as associações do bairro, causando preocupação as centenas de moradores da região que tiveram as suas casas alagadas com a possível paralisação da obra.

A AMOJE,  afim de esclarecer e acabar com o impasse promoveu outra reunião e convidou a AMOCAM, a empresa Fiori, Defesa Civil, comunidade e imprensa.

A AMOCAM, representada por seu presidente Alencar Deck, demonstrou desconhecimento de causa  e propriedade insuficiente para debater sobre drenagem, rede pluvial, escoamento, alagamento e retenção de água pluvial.  Alencar chega a perguntar se a obra contemplará pedras ou asfalto.  Com um discurso grosseiro, atacou praticamente a todos na reunião com insinuações e ameaças. “Os senhores têm que serem gratos por não estarmos conversando em outra instância.” Durante a reunião, Alencar  chega a insinuar e insistir em uma suposta ilegalidade.  “Ta gravado, ta gravado, os senhores estão vendo o que ta acontecendo aqui!” diz Alencar.

Após a AMOJE e a empresa Fiori demonstrarem o projeto, os encaminhamentos e todas as licenças já aprovadas para a obra, a palavra foi dada aos moradores.

Porque os senhores estão buscando qualquer coisinha para barrar as obras, se coloquem em nosso lugar, a sua casa não alaga, não é? 

Essa obra foi uma benção de Deus”, 

Nos temos que nos unir, o senhor tem que parar de querer arrumar problemas o tempo todo, nossas casas estão alagando todos os anos e muitos de nós perderam tudo e ainda não conseguiram se recuperar das perdas”  

Luta que acompanhei de perto e fico triste ao ler uma publicação da Assossicao dos Moradores com cunho especulativo e pouco informacional. Parabéns a AMOJE pela solução encontrada diante do grave problema que aflige os moradores no Jardim dos Eucaliptos há anos.” 

Vocês, como associação (AMOCAM), deveriam buscar os dados reais para depois publicar. E não propagar mais desinformação, levantado especulações.

A AMOJE acompanhou todo o processo de licenciamento e o plano de gerênciamento das águas pluviais. A comunidade local anseia por está obra a muito tempo para não mais perder os seus móveis, carros, e deixar suas famílias em risco. 
Lembramos que essa é uma tubulação que substitui a que já existe, portanto não tem nada de novo. Tomamos toda a cautela para exigir da empresa que a execução não contasse com escavação e sim com uma perfuração sem tocar a superfície. Uma obra muito mais cara, porém muito menos agressiva ao meio ambiente. Por isso os tubulões de PAD estão soldados e esticados na praia, para poderem entrar de uma vez só.

Relatam os moradores.

É lamentável a postura da AMOCAM de não conseguir dialogar com o poder público, com outras associações, com a imprensa e com qualquer um, que não concorde com as suas atitudes truculentas. Tal postura vem trazendo retrocesso ao bairro do Campeche que hoje, diferente dos bairros adjacentes, recebem melhorias significativas em infraestrutura.

A AMOJE emitiu nota de esclarecimento sobre as obras de drenagem

A Amoje – Associação dos Moradores do Jardim dos Eucaliptos, que tem abrangência de atuação na região da Rua dos Eucaliptos, onde encontra-se as referidas obras e empreendimento, vem a publico fazer alguns esclarecimentos:

  • Com as frequentes enchentes que todos os anos atingem centenas de famílias e milhares de pessoas, a Amoje vem se buscando juntamente com a Prefeitura Municipal, através da Defesa Civil e Floram, soluções para resolver os problemas de enchentes na região;
  • Sabendo desde 2014 do projeto do loteamento, a Amoje buscou viabilizar de forma compensatória por parte da loteadora a melhoria da drenagem de águas pluviais da região, solicitando a substituição da tubulação existente que encontra-se bastante prejudicada e com baixa capacidade de escoamento, por tubulações apropriadas e tecnicamente com menor impacto ambiental possível, aonde se chegou à técnica que esta sendo executada, instalando a tubulação por perfuração e não por escavação, diminuindo muito os impactos ambientais e transtornos a comunidade local;
  • Todos os procedimentos e encaminhamentos de legalização do empreendimento foram acompanhados pela Amoje, onde podemos perceber a responsabilidade do empreendimento em seguir os critérios legais de licenciamento;
  • As melhorias da macrodrenagem que estão sendo executadas, atendem as necessidades de centenas de famílias que sofrem com danos aos seus imóveis, perdas de móveis, da sua saúde e da qualidade de vida, bem como evitam todos os transtornos causados por uma enchente que ocorrem todos os anos, pois só quem passa pelo problema sabe os transtornos e as perdas reais. Atende também, as necessidades dos moradores do extremo Sul da Ilha que utilizam a Rua dos Eucaliptos para deslocarem aos seus trabalhos ao centro da cidade.
  • Informamos ainda que a Amoje coloca-se a disposição, a qualquer Morador, Associação e Órgãos Públicos para apresentação das reais esclarecimentos das obras.
Oops...
Slider with alias destaque rodape not found.
2018-12-27T00:38:36+00:00