COMCAP CONTA COM GRUPO DE AJUDA MÚTUA MULHERES E VIVÊNCIAS

A médica Maria Rosa Pacheco coordena o grupo de mulheres e misto para dependentes químicos

A médica do trabalho Maria Rosa Pacheco reativou na sexta-feira o grupo Mulheres e Vivências da Comcap. Desta sessão, participaram 11 mulheres e o principal tema tratado foi o perdão.

Maria Rosa abre um espaço de conversa sobre sentimentos, pensamentos e vivências das mulheres que trabalham com limpeza pública e coleta de resíduos. “Ela é uma médica de verdade, cuida da saúde das pessoas”, comentou Rita de Cássia Martins. “É nota mil, melhor investimento da Comcap”, completou Samanta Mariano Rodrigues.

Invisíveis sob uniforme

Hoje as trabalhadoras já percebem o reconhecimento das pessoas pelo papel que desempenham na sociedade, mas ainda se sentem invisíveis sob o uniforme. “Tem gente que vem pra cima, nem nos enxerga varrendo a rua. A gente olha para o chão e quando vê já foi meio que atropelada”, contou uma das participantes. “Outro dia, pesquei um cidadão com o cabo da vassoura. Fiquei envergonhada, me desculpei, mas ele reconheceu que estava desatento”, acrescentou Magnólia Laurentino. “Trabalhamos muito sozinhas, sentimentos falta de comunicação”, disse Lucélia Rasveiler Souza.

No grupo também são partilhadas vivências pessoais e familiares com o propósito de ajuda mútua. No encontro, por sugestão da gerente de Segurança e Medicina do Trabalho, Cléria Winck Dias, foi trabalhado o texto A vida , do alemão Bert Hellinger, psicoterapeuta e escritor de 93 anos, pioneiro das Constelações Familiares.

A médica também coordena na Comcap o Grupo de Apoio Mútuo (GAM) que reúne dependentes químicos em recuperação ou que desejam se tratar. Esse grupo, para homens e mulheres encontra-se uma vez ao mês.

By |2019-08-15T14:54:35+00:0015 agosto, 2019|Florianópolis|0 Comentários

Sobre o Autor: