O VEREADOR PODERÁ PERDER O MANDATO E FICAR ILEGÍVEL POR 8 ANOS.

Na tarde desta segunda-feira (27) a Câmara de Vereadores da Capital acatou a denúncia contra o parlamentar Maikon Costa, por 22 votos, a comissão terá 90 dias para investigar se procede a denúncia.

Rafael Cavalcante Silva Coelho, 37 anos denunciou que o vereador exigiu que o suplente pagasse pensão do seu filho para ceder vaga, além de solicitar recursos de nomeados no gabinete. Rafael relata que o vereador exigiu de sua suplente Noemi Leal (PSDB) pagasse a pensão do seu filho no período em que assumiu sua vaga por 45 dias em 16 de abril de 2018. Rafael disse ainda que na época a suplente Noemi chegou a confidenciar para ele que teve que repassar o dinheiro.

Na época a vereadora não aceitou, mas teve que aceitar na marra e teve que dar o dinheiro

Ouça o áudio:

Se comprovado o parlamentar poderá responder por corrupção passiva

O Vereador Renato Geske (PSD), não votou por estar ausente a sessão. De acordo com o Decreto 201/67, Maikon não teve direito ao voto, foi orientado, mas mesmo assim votou.

Foram nomeados, por sorteio, os vereadores que irão compôr a Comissão Processante. São eles: Fabrício Correia (PSB), Gabriel Meurer (PSB) e Rafael Daux (MDB). A presidência ficou com Gabrielzinho, a relatoria será de Correia e Daux será membro. A comissão iniciará as investigações e no máximo 5 dias, apurar a denúncia. Maikon terá 10 dias para defesa.  A comissão tem 90 dias para concluir seus trabalhos.

Se acatada a denúncia, o presidente da Câmara deverá chamar uma sessão de julgamento. Se comprovados os fatos e mediante decisão do plenário, votação nominal, o vereador poderá perder o mandato. Serão necessários dois terços dos votos ou o caso é arquivado.

Saiba mais: https://riozinho.com/florianopolis/vereador-maycon-costa-podera-responder-por-corrupcao-passiva/

RECEBA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

+ LEIA MAIS

By |2019-05-28T19:07:41+00:0028 maio, 2019|Florianópolis|0 Comentários

Sobre o Autor: