Florianópolis combate pipa com cerol

By |2018-07-13T20:04:46+00:0013 julho, 2018|

Ações são para que as crianças tenham férias conscientes e com menos riscos

Com a chegada do período de férias escolares, de 14 a 29 de julho, e as boas condições de vento, o aumento da prática de empinar pipas é nítido em Florianópolis. Também cresce o risco para acidentes envolvendo crianças e motociclistas por conta das linhas deste brinquedo com produtos cortantes, o cerol, uma mistura de cola com caco de vidro. Com o objetivo de cortar a linha de outras pipas, o usuário transforma o lazer em uma verdadeira arma letal.

A Prefeitura da Capital, por intermédio da Secretaria Municipal de Educação, reforçou a conscientização dos estudantes e demais membros da comunidade escolar sobre esses riscos.

De acordo com o Secretário Municipal de Educação, Mauricio Fernandes Pereira, as ações fazem parte do “Educar para Salvar”, projeto que vem sendo desenvolvido desde o inicio do ano em diversas unidades educativas. O projeto tem um caráter preventivo e trabalha como eixo principal as noções de primeiros socorros e proteção civil aos jovens educandos.

Durante as oficinas a respeito de pandorgas, o professor Charles Schnorr mostra o quanto agressivo e perigoso é o uso de linhas com cerol ou linha chilena, não apenas durante as ações externas em parques e praças, mas também durante a confecção e preparação do material cortante para ser usado nas linhas. A linha conhecida como “chilena” é feita de cola de madeira e óxido de alumínio e corta quatro vezes mais do que o tradicional cerol.

As aulas são direcionadas para turmas de educação fundamental e infantil. Além disso, há capacitações aos docentes em paradas pedagógicas e reuniões com as famílias, visando a conscientização do maior número de pessoas possível.

Houve oficinas na Escola Básica Municipal Antonio Paschoal Apostolo, no Rio Vermelho, bem como nos núcleos de educação infantil municipal Júlia Maria Rodrigues, no bairro Jardim Atlântico, e no Maria Salomé dos Santos, no Bairro de Sambaqui.

Segundo a professora Juliana Priscila Gomes, responsável por uma das turmas atendidas pelo projeto na Antonio Paschoal Apostolo, essa ação faz com que as crianças reflitam sobre suas atitudes e mudem alguns comportamentos de risco, muitas vezes praticados de forma ingênua e involuntária.

Tem lei que proíbe cerol

A Lei Estadual , de número 11.698, de 2001, proíbe a utilização em Santa Catarina de pipas ou similares equipadas com instrumentos cortantes e com linhas preparadas à base de produtos cortantes.

O artigo segundo alerta que “o infrator da presente lei fica sujeito à apreensão do objeto e à imposição de multa no valor de 50 UFIR’s, sem prejuízo das penalidades previstas na legislação federal”.

UFIR é unidade Fiscal de Referência, um indexador para atualização do saldo devedor dos tributos e de valores relativos a multas e penalidades de qualquer natureza.

Tem lei para linha chilena

O professor Charles Schnorr lembra que Florianópolis sancionou a Lei 9.635, de 15 de setembro de 2014, que proíbe no município a produção, comercialização, transporte, uso ou guarda de linha produzida com compostos de quartzo moído, óxido de alumínio e cola de madeira. É a chamada linha chilena, material cortante e industrializado.

Pela lei, o produto, “quando estiver em posse de usuário, ambulante ou comerciante será apreendido e destruído pelos órgãos competentes de fiscalização, não cabendo aos infratores qualquer indenização”.

DICAS PODEM PREVENIR ACIDENTES E DEIXAR AS BRINCADEIRAS MAIS DIVERTIDAS

  • Brincar sempre com a presença ou consentimento de adultos e responsáveis;
  • Evitar brincar perto de antenas, fios telefônicos ou cabos elétricos (eles conduzem eletricidade e são muito perigosos, pois o contato com a linha pode causar um “curto circuito” e transformá-la em condutor elétrico, ocasionando danos tanto para a rede elétrica quanto para a pessoa que está brincando);
  • Jamais utilize linha metálica, como fio de cobre, de bobinas ou com cerol;
  • Cuidado com “lages residenciais elevadas e desprotegidas” ruas e lugares movimentados, principalmente quando andar para trás. Você pode cair em um buraco ou chocar-se com carros em trânsito;
  • Muita atenção com os motociclistas e ciclistas – a linha pode ser perigosa para eles. Fique atento para que a linha não entre na frente deles;
  • Não produza cerol, ele pode causar também acidentes domésticos, principalmente envolvendo crianças;

Publicidade

O Jornal Riozinho (online) é um excelente investimento onde você alcançará novos clientes e aumentará suas vendas, ainda contribuirá para o seu bairro, investindo numa mídia local que sempre busca melhorias e o crescimento da região.

O Riozinho já é referência no Sul da Ilha e ter nossa marca ao seu lado é sem dúvida uma ótima estratégia para fomentar suas vendas. Com mais de 50 mil acessos por mês, 66 mil seguidores no Facebook, aproximadamente 3 mil membros em 13 grupos no WhatsApp, o Jornal Riozinho já conquistou reconhecimento público e notório em Florianópolis.

Estamos abrindo um novo espaço para marketing e propaganda em nosso jornal, o Riozinho Classificados, que funcionará como um guia de produtos e serviços separados por segmentos: Gastronomia, Imóveis, Beleza, entre outros. É um espaço dinâmico com banners promocionais, onde todos poderão encontrar o que necessitam ao alcance de um clique.

Além disso, o anunciante terá o privilégio de participar do grupo Riozinho Classificados no WhatsApp, onde poderá interagir diretamente com seus clientes. O link Classificados também será compartilhado em todos os nossos grupos do WhatsApp e redes sociais.

Visualizar mais postagens