AMOCAM não comparece a reunião para resolver impasse sobre o PACUCA, no Campeche.

By |2018-08-09T23:40:09+00:009 agosto, 2018|

Segundo o Presidente da AMOCAM, Alencar Deck, foi solicitado adiamento, condições e garantias para a participação, que não foram atendidas.

A reunião foi promovida pela Prefeitura Municipal de Florianópolis e estava agendada para hoje a tarde, quinta-feira(09), às 15:00hs na Base Área.

Alencar disse que, em conversa com o Sr. Ildo Rosa, superintendente do IPUF, Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis, solicitou adiamento da reunião, Ildo Rosa comunicou a AMOCAM, Associação dos Moradores do Campeche, que a agenda era de responsabilidade da Base e que o adiamento dependia deles, em resposta, Alencar comunicou que nessas condições  a AMOCAM não participaria da reunião.

Nós pedimos para ser outra data, era só agendar na próxima segunda, esse foi o pedido, mas foi negado. Não havia como estar lá hoje.” relata Alencar.

O Campo de Aviação do Campeche é uma área composta por três terrenos distintos, e um deles, a faixa central do terreno, está sob controle legal do Comando da Aeronáutica  (COMAER).

Essas entidades públicas utilizam e colaboram para manutenção do local, além de receberem jovens do bairro para práticas esportivas, como futebol, softbol e rúgbi. Os particulares, desde que respeitem a propriedade, solicitem autorização de uso e adotem práticas cidadãs, poderão fazer uso da área. Assim que a ordem for restabelecida, a intenção da Base Aérea de Florianópolis é retomar as parcerias com entidades interessadas em promover o uso coordenado e coerente do espaço.Relata o COMAER 

Entenda o caso:

Inicialmente o juiz Marcelo Krás Borges, da 6ª Vara Federal de Florianópolis, determinou o embargo das atividades militares e a liberação ao uso pela comunidade. A Advocacia Geral da União (AGU) recorreu ao TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) e a desembargadora Vânia Hack de Almeida, derrubou o embargo devolvendo o terreno à Base Aérea. Dessa forma, o Comaer (Comando da Aeronáutica) delimitou a área com a justificativa de evitar atos ilícitos, como descarte de lixo e de entulho, invasões e usuários de drogas.

Para o presidente da Amocam (Associação dos Moradores do Campeche), Alencar Deck, faltou um posicionamento do município. “O Ipuf (Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis) e o Sephan (Serviço de Patrimônio Histórico) já se mostraram contra essa intervenção, mas não vemos nenhuma palavra e nenhuma posição do município”.

Guia Sul da Ilha

O Jornal Riozinho (online) é um excelente investimento onde você alcançará novos clientes e aumentará suas vendas, ainda contribuirá para o seu bairro, investindo numa mídia local que sempre busca melhorias e o crescimento da região.

O Riozinho já é referência no Sul da Ilha e ter nossa marca ao seu lado é sem dúvida uma ótima estratégia para fomentar suas vendas. Com mais de 50 mil acessos por mês, 66 mil seguidores no Facebook, aproximadamente 3 mil membros em 13 grupos no WhatsApp, o Jornal Riozinho já conquistou reconhecimento público e notório em Florianópolis.

Estamos abrindo um novo espaço para marketing e propaganda em nosso jornal, o Riozinho Classificados, que funcionará como um guia de produtos e serviços separados por segmentos: Gastronomia, Imóveis, Beleza, entre outros. É um espaço dinâmico com banners promocionais, onde todos poderão encontrar o que necessitam ao alcance de um clique.

Além disso, o anunciante terá o privilégio de participar do grupo Riozinho Classificados no WhatsApp, onde poderá interagir diretamente com seus clientes. O link Classificados também será compartilhado em todos os nossos grupos do WhatsApp e redes sociais.

Fale conosco