Mulher é queimada por Caravela-Portuguesa na Praia do Campeche, Sul da Ilha

Mulher é queimada por Caravela-Portuguesa na Praia do Campeche, Sul da Ilha

By | 2018-02-06T12:13:06+00:00 6 Fevereiro, 2018|

As Caravelas-Portuguesas são temidas pelo seu poder urticante, em contato com a pele podem provocar queimaduras de até terceiro grau

A caravela-portuguesa possui tentáculos que podem chegar até 30 metros de comprimento e um flutuador que parece um chapéu usado pelos marinheiros medievais portugueses, de onde provém o seu nome. A caravela-portuguesa não se move – flutua à superfície das águas, empurrada pelo vento, com os tentáculos pendentes com a finalidade de capturar peixes para a sua alimentação. Têm cor azul ou ainda rosa e roxa, dependendo de diversos fatores ambientais. Os tentáculos são cheios de células urticantes, em contato com a pele, podem provocar queimaduras de até terceiro grau.

É um único organismo pluricelular, no grupo dos cnidários. Estes zooides estão ligados uns aos outros, pois não podem viver independentemente. Vivem nas águas de todas as regiões tropicais dos oceanos.

Leia o depoimento da mulher atingida pela caravela-portuguesa:

“Olá amigos. Não costumo postar coisas ruins que acontecem comigo, porém quero compartilhar algo que pode servir de alerta para os papais com seus filhos e adultos.
Caminhando na praia, vimos algo lilás, lindo, flutuante, parecia um brinquedo. Ao chegar perto (1m), minhas pernas foram enlaçadas por seus tentáculos. Na hora, imediata, as dores de queimadura, em segundos, tornam-se insuportáveis. Os bombeiros me socorreram, colocaram vinagre, mediram a minha pressão constantemente e foram muito atenciosos.
Porém 15m após o ataque comecei ter reações adversas: Queda de pressão (chegou a 7/3), batimentos cardíacos consideravelmente acelerados (135), oscilações de desmaios, tremuras, tontura, olhos turvos, fraqueza, princípios de convulsões e as dores aumentavam.
Foram duas horas de medo, muitas sensações ruins até SAMU chegar que aplicaram 1º socorros e me levaram para UPA da região. Fui atendida, prontamente, pelo médico e enfermeiros que aplicaram remédios na veia.
Fui liberada às 16h, com dor ainda, mas com menos tontura e fraqueza. Quero agradecer a amiga Elione, os guarda vidas, os socorrista do SAMU e o excelente atendimento da UPA do Rios Tavares
.” Relata Adi Silva.

Vídeo enviado por Adi Silva:

CHUVAS: Saque do FGTS, bairros contemplados e calendário

15 Fevereiro, 2018|0 Comments

WhatsApp