Comunidades do Sul da Ilha buscam mais segurança junto a Prefeitura

Comunidades do Sul da Ilha buscam mais segurança junto a Prefeitura

By | 2017-12-06T17:38:14+00:00 6 dezembro, 2017|

Na tarde desta terça-feira (05) algumas comunidades do Sul da Ilha se reuniram na Prefeitura de Florianópolis solicitando mais segurança à mulher.

Estavam presentes o secretário da casa civil, Filipe Mello, a secretária de segurança pública, Maryanne Mattos, Juninho Mamão, secretário adjunto e Policial civil, membros da comunidade, Mauro Branco, Isabela Maria, Soraya Camargo Zacharias, Márcia Damian representando a AMOLLP Associação de Moradores Loteamento Lagoa Pequena, Marcelo Silva Sader, Regina Ripamonti, Cilas Cunha e Cedenir Valter Silva do conselho comunitário do Rio Tavares.

As comunidades do Sul da Ilha, após dois casos de estupro nas trilhas que levam as praias em menos de um mês, a morte de  uma mulher de 28 anos e inúmeros casos de assaltos a residências e pontos comerciais, buscaram apoio junto ao poder publico para reivindicar: Iluminação nas trilhas, construções de passarelas, rondas policiais  e colocação de câmeras de segurança.

A secretária de segurança publica, Maryanne Mattos, se prontificou a ministrar uma palestra sobre segurança para as mulheres, onde será abordado, como se prevenir e evitar casos de violência contra a mulher nas trilhas e outros locais perigosos.

Atualmente a Policia Militar conta com somente duas viaturas por turno para atender todo o Sul da Ilha. Número insuficiente para atender a demanda. As ocorrências são atendidas por prioridade e gravidade. Segundo o secretário adjunto, Juninho Mamão, há viaturas mas não há efetivo e muitas vezes até falta combustível para as viaturas executarem as rondas.

Segundo o secretário da casa civil, Filipe Mello, todas as câmeras de segurança da cidade já estão funcionando e estão interligadas com a prefeitura. E que ações serão frequentes no Sul da Ilha a fim de coibir novos casos de violência. Também enfatiza que o quesito segurança pública é de responsabilidade do Estado, mas que se prontifica a colaborar  com as comunidades.

Maryanne Mattos relata que o crime organizado se concentra atualmente na Capital e em Joinville. Também enfatiza que número de novos policiais militares contratados e destinados a Florianópolis , anunciado pelo governo do estado esta semana, é insuficiente.

Esta temporada torna-se preocupante, o aumento significativo da violência na Capital é evidente e neste ano o número de Policias Militares destinado  será menor do que nos outros anos.

Preso o estuprador do Rio Tavares pela Denarc DEIC e DP de São João Batista

7 dezembro, 2017|0 Comments

MANIFESTAÇÃO PEDINDO SEGURANÇA, RIO TAVARES, SUL DA ILHA

3 dezembro, 2017|0 Comments