Detentos do regime semiaberto prestam serviços para Florianópolis

Detentos do regime semiaberto prestam serviços para Florianópolis

By | 2017-08-02T18:44:26+00:00 2 agosto, 2017|

Cerca de 50 presos devem ajudar as intendências em roçagens e pinturas de faixas, limpezas de terrenos baldios e manutenções de prédios públicos

Serviços no canteiro de obras da Secretaria de Infraestrutura e manutenção do Cemitério São Francisco de Assis, ambos no Itacorubi, começaram a contar esta semana com a mão de obra de detentos do regime semiaberto da Penitenciária de Florianópolis. A parceria foi possibilitada por meio de termo de cooperação firmado entre a Prefeitura e a Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania no primeiro semestre. A iniciativa tem por objetivo oportunizar trabalho e ressocializar os reeducandos. A Prefeitura deverá dispor, aos poucos, de até 50 presos para ajudar as intendências em roçagens e pinturas de faixas, bem como fazer limpezas de terrenos baldios e manutenções de prédios públicos, entre outros serviços.

De acordo com o prefeito Gean Loureiro, o convênio traz economia para o município, já que vai substituir serviços terceirizados que trazem custos para a Prefeitura, ao mesmo tempo em que trabalha na ressocialização dos detentos. “Temos detentos especializados em diversas atividades, como marceneiros, eletricistas, pedreiros, o que nos permite, até mesmo, utilizá-los para pequenas manutenções em escolas e centros de saúde. O reforço de pessoal na área operacional é fundamental para a realização de serviços que precisam ser feitos em toda a cidade”, explica o prefeito.

Os presos vão trabalhar uniformizados, de segunda à sexta-feira, das 8h às 18h, e serão deslocados por um micro-ônibus da Comcap. Dois funcionários da Secretaria de Infraestrutura estão responsáveis por acompanhá-los. A escolha dos detentos foi feita pela Penitenciária, que buscou privilegiar quem tem bom comportamento. Segundo o gerente de execução penal da Penitenciária de Florianópolis, Carlos Novaes, encontram-se nesta situação aqueles que ficam em alojamento reservado aos que estão em regime semiaberto, sendo que alguns têm autorização para saída temporária.