Saiba como salvar um pinguim

Saiba como salvar um pinguim

By | 2017-07-04T18:46:12+00:00 4 julho, 2017|

O pinguim está nadando?  Já foi capturado? Devo colocá-lo no frio? Saiba como agir quando encontrar um pinguim na praia.

Há vários anos, é comum que nos meses de inverno o nosso país receba um turista muito especial: o pinguim-de-magalhães (Spheniscus magellanicus), que é originário da Patagônia. Isso acontece quando eles sobem o Atlântico na corrente das Malvinas para se alimentar de peixes, e um ou outro indivíduo se perde do grupo, chegando em nossas praias desnutrido e sem forças para voltar para casa sozinho.

Entretanto, nos últimos anos tem-se registrado encalhes cada vez mais numerosos, de forma que encontrar um pinguim durante um passeio na praia não é tão incomum quanto se pensa. Caso isso aconteça, existem algumas coisas importantes que você precisa saber para aumentar as chances de sobrevivência dessas aves:

O pinguim está nadando na praia?

Caso você veja um pingüim nadando próximo à praia, fugindo das pessoas, nadando entre os barcos, ativo e esperto; não tente capturá-lo, deixe-o livre. Ele ainda está saudável, não necessita ser resgatado e você pode se ferir na tentativa. O pingüim só deve ser capturado em caso de encalhe. Afaste-se para permitir que ele venha para a praia caso esteja debilitado; do contrário ele vai ficar com medo e não vai sair da água.

O pinguim já foi capturado?

Se pinguim estiver fraco, boiando próximo às pessoas, “capotando” nas ondas, sendo jogado contra as pedras, ou cansado na areia da praia, ele provavelmente será capturado por banhistas e curiosos.

Guarde-o em uma caixa de papelão forrada com jornal ou pano, mantenha-o SECO e AQUECIDO, e afastado dos curiosos. Se possível, próximo a uma lâmpada incandescente para ajudar no aquecimento, ou garrafas contendo água aquecida. Se esses cuidados não forem tomados, ele poderá morrer. Não o molhe, nem o coloque para nadar. Não tente alimentá-lo, não o manipule e não deixe que crianças encostem nele.

Por que não devo colocá-lo no frio?

Os pinguins de Magalhães não vivem no gelo da Antártida; eles são originários da Patagônia, no extremo sul do nosso continente, e possuem temperatura corporal entre 38,5 e 41 ºC. Em nosso país eles chegam cansados, desnutridos e com frio, pois esgotaram suas reservas energéticas. Pessoas bem intencionadas que colocam pinguins em locais frios os levam a óbito por hipotermia.

Por que não devo molhar o pinguim?

Não molhe o pinguim. Ele perdeu a sua capacidade de isolamento térmico e impermeabilidade. Se você o molhar ele continuará encharcado e com frio, podendo morrer.

O pinguim está com o corpo manchado por óleo?

Use algum tecido para manipular o pinguim. Não use luvas de borracha ou látex. Não deixe o óleo entrar em contato com sua pele. Não tente remover o óleo em hipótese alguma. Mantenha-o em ambiente seco, aguardando o resgate.

Devo dar comida para o pinguim?

Não. No primeiro contato eles costumam ter medo dos humanos, e a tentativa pode estressá-los ainda mais. Além disso os espinhos de um peixe mal posicionado ou de uma espécie errada pode lesionar a boca. Ele devem ser alimentados por uma equipe capacitada.

Como devo transportar o pinguim?

Caso seja extremamente necessário, quem for transportar o pinguim em algum veículo não deve colocá-lo no porta malas ou em compartimentos abafados, pois ele morrerá no calor excessivo. Transporte o pingüim como você transportaria uma criança, pois ele também precisa de ventilação e temperatura amenas. Leve-o de preferência dentro de uma caixa aberta, no banco dos passageiros. Atenção com as fezes, que podem atravessar o fundo de caixas de papelão. Transporte-o apenas se for a última opção, e em trajetos curtos, até entregar à autoridade competente, pois é necessário possuir uma licença específica para capturar e transportar animais selvagens.

Para onde levar o pinguim?

Informe os órgãos ambientais locais sobre o encalhe do pinguim. Eles irão encaminhá-lo ao local apropriado e autorizado mais próximo ao seu município, ou irão acionar os responsáveis pelo recolhimento. É importante lembrar que o encalhe de pinguins mortos também pode ser comunicado aos órgãos oficiais, pois a análise desses dados colabora para a investigação do fenômeno.

Por: Luis Felipe Mayorga
Fonte: Mergulhadores.com.br